Acabou a folia do carnaval... Mas será que vai começar a folia nas suas finanças?

Após o término do carnaval, parece que agora vai começar o ano, em “definitivo”!

 

É chegada a hora de começar a colocar em prática os planos elaborados para 2018, e se ainda não temos planos definidos, nunca é tarde para pensarmos e planejarmos o que queremos fazer de diferente. E ainda, se você for empresário, o que sua empresa vai mudar nesse ano? Sempre lembro da frase clássica: Se continuarmos tomando as mesmas atitudes e praticando as mesmas ações, vamos continuar tendo os mesmos resultados.

 

Após o período de festas, presentes, férias, gastos extras, é o momento de realmente testar a nossa organização financeira e de nossa empresa, se for o caso. Para aqueles que já tem um orçamento definido e que acompanham mensalmente a evolução de seus gastos realizados com os planejados, provavelmente não vão ter surpresas na retomada dos negócios, pois é muito provável que já tenham estimado situações corriqueiras, como por exemplo, no caso de quem é empregado, lembrar que quando sai de férias, já recebeu as férias e o salário do mês anterior, então quando retornar, terá que trabalhar um determinado período, para depois ter direito ao salário.

E ainda, quem for empresário, terá que ter planejado que como as vendas de início de ano são menores para muitas atividades, essa baixa respingará no caixa no mês seguinte, pois é quando vence as contas a receber (para quem trabalha com prazo médio de 30 dias), e os gastos fixos continuam, mesmo com redução das vendas.

 

Quem não possui orçamento financeiro pessoal ou da empresa, a probabilidade de uma bagunça financeira é maior. Já comentei em artigos anteriores sobre a importância do planejamento e do orçamento (veja aqui), por isso vou focar em algumas dicas para uma situação que ocorre muito, que é uma “crise financeira pós férias”, claro que mais evidente para aqueles que não se organizaram financeiramente.

 

Então se você gastou demais nas férias e não tem dinheiro para pagar as contas do mês, aí vão algumas dicas:

 

1. Primeiramente coloque no papel todas as suas contas do mês, ou se já tiver seu orçamento, revise a fim de verificar se estão certos os lançamentos;

 

2. Tenha a certeza do valor que você precisa para pagar suas contas até a entrada da próxima renda (próximo salário);

 

3.  Identifique quais contas podem ser negociadas, para serem pagas no mês seguinte, e de forma parcelada, pois você tem que lembrar que no outro mês, as contas fixas vem novamente. Por exemplo, se você tem alguma mensalidade escolar, paga aluguel, parcela de empréstimo, condomínio, entre outros, pode pedir para você pagar a metade no mês e a outra metade no mês seguinte, ou parcelar para outros meses. Mesmo que tenha juros, pode ser que sejam mais baixos do que você entrar no cheque especial. Nem todos vão aceitar essa negociação, mas eu sempre digo que: “mais do que um não, não acontece”;

 

4. Você pode fazer alguma atividade extra num determinado período, a fim de aumentar a renda para poder colocar em dia suas contas;

 

5. Se você tem compromisso mensal com investimentos, como depósito mensal numa aplicação, ou previdência privada, suspenda os pagamentos. Caso você tivesse planejado fazer alguma compra naquele mês, ou algum gasto extra, suspenda. A prioridade é de pagar as contas do mês;

 

6. Mesmo que você já venha economizando, faça uma reunião familiar e exponha a situação, e o mais importante, peça ajuda e sugestões do que pode ser feito. Estabeleça uma meta de gastos e pense que o sacrifício é por um tempo, até colocar as contas em dia.  É interessante pensar numa recompensa para todos pelo esforço da economia, por exemplo, se conseguir economizar "X" nesse mês, em abril vamos fazer um passeio.... (coloque no orçamento de abril esse possível gasto);

 

7. Pedir adiantamento de salário para seu empregador pode ser uma alternativa, mas somente para empurrar para frente os problemas, pois no próximo salário vai ser descontado o adiantamento, então você estará com o problema novamente. Pelo menos ganha um tempo para pensar melhor no que pode ser feito;

 

8. Se você tem alguma reserva de emergência, pode sacar para ajudar no orçamento do mês, afinal reservas são para isso também. Depois se organize e determine um valor mensal de reposição. Não tem porque você pagar juros para outros, se você tem dinheiro guardado (a não ser que seu dinheiro aplicado renda juros maiores que aquele que você pagaria para pegar um empréstimo);

 

9. Você pode solicitar um empréstimo com algum familiar, visto que os juros poderão ser menores que os bancários. Se não quer expor aos parentes sua situação e preferir tomar um empréstimo bancário, prefira empréstimo consignado (para quem é empregado), os juros são menores;

 

10.   Aprenda com os erros. Nas próximas férias lembre de estabelecer um limite de gastos, pois as contas fixas não tiram férias. É necessário retornarmos nossas atividades com alguma reserva, a fim de poder honrar as contas do mês, até a próxima entrada de salário.

 

São algumas alternativas para solucionar as finanças a curto prazo, ou pelo menos reduzir o impacto da desorganização pós férias. É importante ressaltar que o planejamento financeiro reduz o risco de uma bagunça financeira.

 

Que a folia tenha sido somente no carnaval e que não continue nas suas finanças!

 

Fabio Nepomoceno - Consultor de Finanças

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade