Atletas olímpicos: O que podemos aprender com eles?

No próximo dia 09/02 inicia em PyeongChang, na Coréia do Sul, os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018. É a sua 23ª edição e vai reunir cerca de 3 mil atletas de 92 diferentes países. Muitos de nós estaremos acompanhando pela televisão o desempenho de vários deles, inclusive torcendo para os brasileiros, apesar de terem poucos participantes na delegação (9).

 

Aproveitando os jogos olímpicos, e também a comemoração do dia do atleta profissional, em 10/02, te convido para refletir sobre o que podemos aprender com eles, para aplicar na gestão das empresas, ou para nossa vida e carreira profissional, considerando claro, os bons exemplos. Comentarei abaixo alguns fatores necessários para o desempenho de um atleta, e que podem ser estendidos para o nosso dia a dia:

 

Foco e disciplina: Desde que o atleta começa a sua trajetória profissional, ele está consciente que o seu rendimento aumenta gradativamente ao longo do tempo. Ele tem um objetivo, que não necessariamente é ganhar ou chegar em primeiro lugar, pois depende da sua maturidade no esporte que pratica. Para alcançar tal objetivo, deve-se alcançar etapas preliminares. Por exemplo, para participar dos jogos de inverno, provavelmente muitos se classificaram por algum critério, como posição no ranking geral, ou posição em campeonatos anteriores. Mas de nada adianta ter objetivo se não tiver foco e disciplina para cumprir as etapas. Abre-se mão de confortos e prazeres para que seja priorizado a melhoria no desempenho.

 

Para nossa vida profissional, pessoal e para a gestão das empresas, além de termos um planejamento, com objetivos, metas e etapas para serem cumpridas, é imprescindível ter o foco para o que foi planejado e não ser influenciado por dispersões durante nosso trajeto. Se o planejado foi fazer uma reunião semanal com equipe, é necessário ter a disciplina de cumprir, ou ainda, se o planejado é perder 5 kg em um mês, tendo como ação fazer academia 3 vezes por semana, é necessário ter foco e disciplina nessa ação.

Se um atleta começar a fazer treinos e dias depois não manter o ritmo, seu desempenho será prejudicado, assim como nossas ações, podemos iniciar com entusiasmo, mas sem a disciplina e foco, vamos perdendo o ritmo.

 

Concentração: Nos treinos e competições, é nítido vermos a concentração dos atletas. Apesar de estar visível o esforço físico por parte deles, e talvez pensarmos que eles devem se concentrar somente para usar a força física, estamos enganados. É necessária concentração de mente e espírito para enfrentar o desafio, pois podem ter sido meses ou anos de preparação para aquele momento. É necessário refletir sobre os treinos, o percurso, as ações de correção caso algo sair errado, lembrar das dicas, etc. A concentração dos atletas não é só aquela visível a nós, momentos antes da prova. Isso já ocorre a algum tempo, através do isolamento e preparação.

 

E para nós, é necessária concentração? Sim, principalmente quando estamos diante de algum desafio. Seja para uma entrevista de emprego, uma palestra, uma reunião, ou alguma atividade operacional. A concentração ajuda a estarmos de corpo, mente e espírito naquela atividade, e cada um de nós tem uma forma especial de fazer isso, e obviamente dependendo da nossa experiência e da atividade, exigirá maior ou menor grau de concentração. Algum professor seu já te perguntou se você estava na sala de aula, de forma completa? (corpo e mente)...

 

Superação: Nem tudo são flores na vida do atleta profissional. Há também momentos de baixa, como derrotas, desclassificação, fraturas, doenças, falta de patrocínio, entre outros. Porém nota-se em muitos uma grande capacidade de superar as dificuldades, esquecer os momentos ruins do passado, e focar no presente e futuro. A superação também está presente no dia-a-dia, pois muitos têm dificuldades que não transparecem quando realizam a competição.

 

Todos nós temos “pedras no caminho”, podendo estar relacionado às questões pessoais, profissionais ou na empresa, sendo devido aos mais diversos problemas, desde doenças, relacionamento, perdas, finanças, entre outros. Importante refletirmos sobre os problemas que passamos, principalmente se foram causados pelas nossas ações, e aprendermos com os erros cometidos. É necessário ter humildade e seguir adiante.

 

Trabalho em equipe: Para as competições em equipe, maior parte dos atletas nos passam exemplo muito positivo de como deve se comportar uma equipe. Há a presença de um líder e os integrantes estão alinhados com o que deve ser realizado. É notável a união deles, mesmo nos momentos de bronca por parte do líder, sendo que também deve ser lembrado os momentos de elogios. Ocorre mútua participação na vitória e na derrota. Por outro lado, não ficamos sabendo de conflitos internos que talvez aconteçam, mas pelo tempo de convivência e treinamento, cada integrante deve conhecer um a outro muito bem, favorecendo a convivência e o respectivo sucesso.

 

Uma empresa é feita por pessoas, por equipes, que devem trabalhar com objetivo alinhado entre todos, sendo comandado por um líder, que promove a participação dos liderados, cobra por resultados e comemora com os mesmos, compartilhando momentos bons e ruins.

 

Regras: Todos os jogos possuem as suas regras, e é de conhecimento pleno dos atletas, tendo ainda a presença do árbitro, que é responsável por fazer cumprir as mesmas. Em relação ao número de competições e atletas, poucas vezes sabe-se de episódios onde tem conflitos relacionado às regras do jogo. Quando há problemas de cumprimento de normas, principalmente por má itenção, a punição pode ser rigorosa.

 

No nosso jogo diário, na nossa carreira, vida pessoal ou nas empresas, nos deparamos com as regras também, concordando ou não. Temos as regras informais de mercado, regras formais em termos de legislação, regras de convivência e respeito, sejam para pessoas, empresas, governo, sociedade, entre outros. Atualmente fica evidente que em muitas situações, o cumprimento de regras passa longe de algumas atividades, infelizmente. Assim como no esporte, aqui em nosso ambiente temos punições, porém algumas nem tanto rigorosas, fazendo com que muitos pensem que “não vai dar nada”, ou “vamos ver o que acontece”. Contudo, temos que nos espelhar em bons exemplos, e o esporte e suas regras podem nos ajudar nisso.

 

Treino: Você já deve ter ouvido ou lido a famosa frase, dita pelo Tiger Woods, quando o mesmo ganhou um dos seus vários jogos de golfe, e foi questionado sobre a sorte no jogo. Ele respondeu a um repórter: “Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho”. O treino faz parte da vida de todo atleta profissional, e não há de comentarmos aqui sobre sorte ou azar. Tanto o treino como os outros fatores são exclusivamente dependentes da ação de cada um de nós. (Costumo dizer que nós somos o retrato das nossas decisões). Os atletas melhoram seu rendimento à medida que praticam, seja pelos treinos ou competições. Porém um treino não regular, sem foco, sem disciplina, enfim sem os outros fatores já citados, não vão ter o mesmo resultado.

 

Na gestão das empresas e em nossa carreira, é necessário treinarmos nossas aptidões, e isso está muito relacionado à experiência. Quanto mais praticamos, melhores ficamos. Também temos que lembrar disso quando cobramos o resultado de alguém. Será que a pessoa já foi treinada para aquela atividade, ela já está apta?

 

Teriam outros fatores ligados aos atletas profissionais que poderíamos conectar com nossas vidas. Esses são os que lembrei nessa breve reflexão, para aplicarmos em nossa carreira ou na gestão das nossas empresas.

 

Quando assistirmos os jogos olímpicos de inverno, ou outras competições, que possamos refletir que houve muito planejamento, meta, treino, foco, disciplina, superação, entre outras exigências que a competitividade esportiva tem. Que esses fatores ligados à vida dos atletas, bem como seus bons exemplos, sejam uma forma de inspiração para nosso plano de vida, ou para a gestão de nossas empresas, pois também estamos num ambiente competitivo e necessitamos melhorar a cada dia o nosso rendimento.

 

Fabio Nepomoceno - Consultor em finanças

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade