Três dicas para pensar nos eventos online - Fazendo uma live

Três dicas para pensar nos eventos online - Fazendo uma live

Neste período de transformação cultural que estamos vivendo, em tempo de pandemia e Covid-19, precisamos nos adaptar através da comunicação e do conhecimento.

Você deve estar acompanhando a quantidade de lives e transmissões online que estão acontecendo neste período.

Você parou para pensar se, a estratégia que está adotando é a mais adequada? Abaixo vão três dicas sobre o assunto.

 

1. Reveja seus objetivos iniciais. Nem todo evento funciona em uma transmissão online

Só porque você pode fazer um evento online, não quer dizer que você deva. Volte aos objetivos iniciais do seu evento e escreva um briefing atualizando sua equipe sobre qual a razão de ser desse evento. Se uma das metas for lançar um conteúdo novo ou fazer um anúncio, um vídeo ou uma livestream podem ser uma boa alternativa.

Ainda assim, considere como esse conteúdo será consumido no contexto atual e não se esqueça de verificar se a duração e o formato são adequados para o seu público. 

Pense sobre seus principais objetivos para essa transmissão. 

A estratégia planejada vai atender estes objetivos?

 

2. Cuidado com a sobrecarga de transmissões ao vivo

"Vamos fazer uma transmissão ao vivo" é algo que tem sido bastante repetido ultimamente. As livestreams conseguiram se estabelecer como uma maneira de ampliar encontros presenciais. Mas lembre-se: o fato de poder realizar um evento online não significa que você deva fazer uma live. Considere que cada vez mais pessoas estão trabalhando em casa, ou seja, com crianças, animais de estimação e familiares por perto. A distração é a nova regra.

Repense: seu evento irá atrair visualizações na hora marcada da live? Se houver um real motivo para as pessoas entrarem na sua livestream naquele momento, então, o ao vivo pode ser um bom caminho. 

Talvez criar um vídeo sob demanda pode ser mais adequado para a sua audiência, já que você oferece às pessoas a oportunidade de ver o material em um momento mais adequado.

 

3. Aproveite outras vias para divulgar seu conteúdo

Lembre-se: o fato de um evento ter sido planejado não significa que ele precisa ser adaptado para uma versão digital. Especialmente porque pode ser difícil, ou mesmo impossível, transpor para o digital os elementos de produção que fazem toda a diferença — como iluminação, som e cenografia.

Por isso, faça um balanço do conteúdo que pretende entregar e responda a questão: este mesmo conteúdo poderia ser viabilizado em que outros formatos e em que outros canais? Inclusive, não subestime os seus próprios canais: seu site, email marketing, blogs e redes sociais. 

 

Olhando para o futuro

Esses tempos nos ensinarão muitas lições sobre a eficiência do trabalho remoto, e podem nos fazer reavaliar a quantidade de vezes que entramos em um avião, ou ônibus, ou outro transporte, para ir a encontros profissionais. A forma que o conhecimento chegará para os nossos clientes, equipe e público final, será transformadora.

Nada substituirá o encontro pessoal e presencial, que nunca deixará de existir, mas certamente será muito diferente no futuro próximo, pois todo o conhecimento básico e técnico, poderá ser transmitido em uma live, podcast, vídeo sob demanda, apresentação no Youtube e tantas outras ferramentas que existirão a partir dessa mudança cultural.

 

Fonte: https://www.thinkwithgoogle.com/intl/pt-br/advertising-channels/busca/por-dentro-do-marketing-do-google-3-pontos-que-levamos-em-consideracao-ao-pensar-em-eventos-online/

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade