Cartão: Débito ou Crédito?

Já estamos acostumados a ouvir a pergunta do débito ou crédito, quando apresentamos nosso cartão para realizar as compras. Parece algo tão simples de decidir e logo pensamos no nosso limite do cartão e saldo bancário, mas dependendo da opção poderemos ter algumas vantagens e desvantagens.

 

Cada vez mais se usa o dinheiro de plástico para as compras, ainda mais com o crescimento do e-commerce nos últimos anos. Uma das vantagens de utilizar o cartão em vez do dinheiro é a facilidade, além de não precisar ficar carregando dinheiro, favorecendo a segurança. Além disso, o uso do cartão facilita o registro da transação, ajudando no controle financeiro de despesas. Anotar os gastos em dinheiro é mais difícil do que os gastos em cartão, visto que nesse existe o comprovante, aparece o débito em conta ou o registro na fatura.

 

Mas escolhido o cartão como meio de pagamento, qual o melhor: débito ou crédito?

 

Antes de comentar dos prós e contras, vale lembrar que a função débito é aquela que é debitado direto da conta bancária, no mesmo dia da transação. Tem uma ligação com sua conta corrente bancária, sendo um pagamento à vista. Para o estabelecimento que aceita o cartão débito, receberá o valor em até 2 dias úteis.

 

A função crédito é aquela que financiamos a compra, no caso crédito a vista passamos o compromisso para o próximo vencimento da fatura. É um empréstimo garantido que uma instituição financeira oferece, que se cumprirmos o contrato de pagar o total da fatura no vencimento, não tem juros. Portanto pode-se ganhar um prazo de até 40 dias, dependendo da época do mês que é realizado a transação. Para o estabelecimento que recebe as vendas através do cartão de crédito, poderá levar cerca de 30 dias para receber.

 

Vantagens do débito

 

A principal vantagem do uso da função débito é em relação à organização financeira. Utiliza-se o valor que já se tem disponível para o gasto. Para aquelas pessoas que não conseguem controlar compras a prazo, somente conseguem organizar o orçamento a partir do valor que tem disponível, o débito é o mais recomendado. A função débito não permite você gastar mais do que possui na conta, auxiliando o planejamento financeiro.

 

Outra vantagem do débito pode ser o desconto obtido, visto que o estabelecimento recebe praticamente à vista. Por exemplo, alguns postos de combustíveis praticam um preço no pagamento em dinheiro e no débito em valor menor do que no crédito.

 

Desvantagens do débito

 

A desvantagem no uso do débito seria a impossibilidade de parcelar alguma compra, ou ainda, ter que esperar mais para adquirir algum bem. Não necessariamente é uma desvantagem, pois a medida que conseguimos pagar à vista, utilizamos recursos já disponíveis e pode-se solicitar algum desconto.

 

Vantagens do crédito

 

Para as pessoas que conseguem organizar-se financeiramente e não fazem compras por impulso, utilizar um cartão de crédito pode ter muitos benefícios. Um deles é o acúmulo de pontos em programas de fidelidade, onde pode-se trocar pela aquisição de algum bem ou serviço, de forma total ou parcial.

 

Outra vantagem é a possibilidade de fazer compras internacionais, de forma presencial ou e-commerce, mediante liberação específica. Apesar disso, é bom lembrar que nas compras internacionais tem a incidência de IOF (Imposto sobre operação financeira), além de que há a conversão das compras em dólar para reais na data do pagamento da fatura.

 

O prazo de pagamento é outro atrativo, visto que se você tem uma conta bancária que tem remuneração automática do saldo que fica disponível, em vez de usar o valor hoje para pagar alguma compra, no crédito você poderá pagar no mês seguinte, pelo mesmo valor.

 

Ainda é importante destacar a opção de utilizar o crédito para pagar as grandes compras, através de parcelamento pelo mesmo valor de pagamento à vista. Apesar disso, é importante colocar no orçamento as parcelas e os respectivos meses de vencimento, a fim de se organizar para o pagamento da fatura integral.

 

Desvantagens do crédito

 

O cartão de crédito torna-se desvantajoso à medida que não há controle financeiro e gasta-se de forma errada. Antecipar desejos de compra através do cartão de crédito, sem ter uma garantia ou perspectiva de renda no mês seguinte para pagar a compra, pode se tornar um pesadelo. Pagar a fatura com valor menor ou não pagar acarreta em juros altos, que se não regularizado, pode aumentar em muito a dívida da pessoa ou da família. Inclusive, em notícia publicada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em 05/09/2018, em relação ao endividamento das famílias brasileiras, o cartão de crédito é responsável por 76,8% das dívidas, seguido de carnês (14,2%), financiamentos de carro (10,4%) e financiamentos de casa (9%).

 

Outra desvantagem, por mais que atualmente consegue-se buscar opções baratas ou nulas, é o valor das despesas para manter o cartão. As principais são a anuidade e o seguro de cartão. Devido à grande competitividade do setor bancário e de cartões de crédito, é possível atualmente ter cartões sem despesas, e se você tem alguma despesa com anuidade, negocie com a instituição a isenção e pesquise alternativas.

 

Limite de valor

 

A partir de qual valor optar pelo débito ou crédito? Depende do perfil de cada pessoa. Para aquelas extremamente organizadas com as finanças, pode-se usar o crédito para praticamente tudo. E não precisa ter constrangimento ou vergonha pelo baixo valor, ainda mais se não há nenhum impedimento do estabelecimento para aceitar o crédito. E além do mais, o estabelecimento já tem o preço formado (ou deveria ter) para essa opção de pagamento. Mesmo assim pode-se estabelecer um limite de valor, como por exemplo, compras acima de R$ 10,00 crédito e abaixo disso no débito.

 

Tem outra situação, que se refere a crédito parcelado. Se o valor a pagar de uma compra é o mesmo pagando no débito, no crédito a vista ou no crédito parcelado, sob o ponto de vista financeiro, o melhor é parcelado. Mas ressalto que deve haver um controle, a fim de monitorar as parcelas mensais assumidas, para que não ultrapasse o orçamento.

 

Em termos de endividamento, recomenda-se que a fatura mensal do cartão não ultrapasse 30% de sua renda. Dependendo do caso poderá até ser maior, visto que se o crédito for muito usado, as despesas mensais que estão no orçamento, como alimentação, passeios, deslocamento, entre outros, estarão incluídas na fatura. Vale lembrar que cartão de crédito e débito é uma forma de pagamento e não um tipo de despesa. No controle das finanças, evite colocar como despesa cartão de crédito ou débito, pois não terá como identificar as despesas que foram realizadas pelo cartão.

.

Por fim, o que vai sinalizar se é melhor usar o débito ou o crédito, é o seu perfil em termos de organização e planejamento financeiro. Se você possui controle de seus gastos a vista e a prazo, o crédito é uma ótima alternativa. Mas caso você não tenha as finanças controladas e realiza compras por impulso, o melhor poderá ser não usar o crédito e trabalhar com o dinheiro que você já possui.

 

Fabio Nepomoceno - Contador e Consultor em Finanças

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade