Vale a pena antecipar IPVA e IPTU?

No início de ano, muitos estados promovem desconto para antecipação do pagamento do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores), assim como os municípios também lançam campanhas para antecipação do IPTU (Imposto sobre Propriedade Territorial Urbano). Em ambos os casos, são oportunidades para os entes públicos anteciparem receitas para colocar em dia suas contas.


Mas para nós contribuintes, vale a pena realizar o pagamento antecipado?

Apesar de ser uma questão muito particular, vamos tratar de uma análise puramente financeira: Primeiramente, vale a pena antecipar se temos dinheiro, e sobrando de preferência. E ainda, temos que ter um planejamento que indique que tal recurso não faltará em alguns meses depois. Há casos em que até pode valer a pena tomar dinheiro emprestado para antecipar IPVA ou IPTU, mas deve ser realizado cálculos.


De nada adianta usar cheque especial para antecipar pagamento de IPVA e IPTU, e depois pagar um juro alto pelo uso do dinheiro. Pode-se pensar em alternativa de tomar um valor emprestado a uma taxa acessível, para utilizar na antecipação, apesar de ser pouco utilizado pelas pessoas.


A base de comparação para verificar se vale a pena antecipar ou não, é o custo do dinheiro no tempo. Se você não utilizar o dinheiro para antecipar o IPVA ou IPTU, o mesmo poderá ser aplicado em algo. Isso também podemos chamar de custo de oportunidade, ou seja, o quanto você ganharia de renda com o dinheiro guardado, se não fosse utilizar na antecipação.


Vamos considerar um exemplo simples de antecipação de IPVA, com desconto de 20%, conforme segue:


- Valor do IPVA com vencimento em abril/2018: R$ 1.000,00
- Valor do IPVA para antecipação em dezembro/2017: R$ 800,00
- Desconto de R$ 200,00.

Então teria que ter disponível R$ 800,00 para pagamento em dezembro/2017.

Considerando que eu tenho os R$ 800,00 e está aplicado a 1% ao mês. Se deixar aplicado até o mês que vence o IPVA, que é abril/2018, o valor chegaria a cerca de R$ 832,00, considerando juro composto. Então, nesse caso ficaria assim: 
- Se guardar o dinheiro, teria de renda R$ 32,00;
- Se antecipar o IPVA, tenho um desconto de R$ 200,00
- Então, minha vantagem considerando o custo de oportunidade é de R$ 168,00 (200,00 – 32,00)

 

Outro exemplo: Supondo que eu não tenha disponível os R$ 800,00, mas eu gostaria de antecipar e para poder fazer isso, vou pegar emprestado no banco a uma taxa efetiva de 4% ao mês. Considerando o prazo de 4 meses, ao final vou devolver para o banco, incluindo juros e capital, o valor de R$ 936,00 (juro composto). Exemplificando, ficaria dessa forma:
- Se eu pegar o dinheiro emprestado, pagaria um juro de R$ 136,00 (936,00 – 800,00);
- Se eu antecipar o IPVA com o dinheiro emprestado, terei o desconto de R$ 200,00;
- Então, minha vantagem considerando o custo de capital é de R$ 64,00 (200,00 – 136,00).

Nesse último exemplo, a vantagem torna-se muito pequena. Deve ser considerado o esforço e talvez uma certa “incomodação” em contratar empréstimo.

 

É importante ressaltar que, mesmo valendo a pena antecipar, de nada adianta pagar em dezembro o IPVA e/ou o IPTU, e logo mais, por exemplo, em fevereiro entrar no cheque especial, com juros de cerca de 12% a.m.


Seguindo o mesmo exemplo, vamos supor que em dezembro foi antecipado o IPVA, mas em fevereiro você entrou no cheque especial no mesmo valor (R$ 800,00), a uma taxa de 12% a.m., ficando até abril (2 meses). Nessa situação, o saldo a pagar para o banco em abril ficaria em R$ 1.003,52. Ou seja, a vantagem de antecipar seria anulada, pois por um lado ganhei R$ 200,00 de desconto no IPVA, mas depois vou ter que pagar juro de cheque especial de R$ 203,52 (1.003,52 – 800,00).


Em resumo, se você tem disponibilidade de caixa e tiver consciência de que não vai fazer falta nos meses seguintes, é muito provável que vale a pena a antecipação de IPVA e/ou IPTU. Isso muito se deve ao fato dos juros estarem reduzindo, sendo desfavorável para quem aplica, mas favorável para quem precisa de dinheiro. (Recomendo ler o artigo sobre taxa selic, veja aqui).


Ainda sugiro observar as outras opções de parcelamento de IPVA e/ou IPTU, onde os descontos são menores, mas por outro lado a parcela “cabe no bolso”, ficando acessível. O importante é planejar antes de tomar as decisões. De nada adianta ter um desconto em antecipação, mas posteriormente ter um custo próximo ou maior do que a vantagem obtida.

 

Fabio Nepomoceno - Consultor de Finanças

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade