Alguns erros comuns na declaração de imposto de renda

Acredito que muitos estão aproveitando o feriadão de páscoa para fazer a declaração de imposto de renda. O prazo final está próximo, é dia 28 de abril.

Aproveitando a proximidade do prazo final, destaco aqui alguns erros mais comuns que as pessoas cometem ao preencher a sua declaração.

O primeiro é básico: são os erros de digitação. Quem nunca digitou uma letra a mais ou a menos? É necessário estar atento na hora de preencher os dados. E isso resolvemos com conferência em toda a declaração. Vamos supor que você coloque um zero a mais na declaração de bens, como por exemplo em um imóvel que vale R$ 250.000 e você informou acidentalmente R$ 2.500.000. Provavelmente levantará suspeitas de irregularidades. Afinal, a Receita irá desconfiar de como você conseguiu adquirir uma casa naquele valor sem ter renda suficiente para isso.

Outro erro é declarar despesas não dedutíveis. É importante estar ciente do que pode ser deduzido ou não. Por exemplo, despesas de educação dedutíveis são aquelas relativas à mensalidade ou anuidade de escolas, faculdades e cursos profissionalizantes. Porém não é dedutível gasto com uniforme, transporte, material escolar, curso de idiomas, entre outros.

Quando às despesas médicas, são dedutíveis aqueles referentes a médicos de qualquer especialidade e também dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e hospitais. Além disso, as despesas com exames laboratoriais e próteses ortopédicas também podem ser deduzidas.

Outro erro muito comum é a pessoa alterar o valor dos bens. Se você possui um carro, um apartamento ou algum outro bem que faça parte do seu patrimônio, não é possível atualizar o valor para o preço de mercado. Ou seja, se seu automóvel foi adquirido em 2011 por R$ 30 mil reais, você não deve mudar para quanto ele vale em 2017. Para os imóveis, caso tenha havido alguma reforma ou ampliação, até pode ser alterado o valor, desde que tenha notas fiscais comprovando o gasto realizado.

São dicas simples, mas que se não forem seguidas, podem causar transtornos futuramente, aumentando o risco de cair em malha fina.

Fabio Nepomoceno - Consultor de finanças - F12 Consultoria

Receba conteúdos exclusivos e com prioridade